O que ver em Roma?

Palatino

Roma é um local de grandiosas construções – mas também, de muitas belezas naturais. Uma delas é o Monte Palatino, uma das sete colinas de Roma, a mais central, e também uma das partes mais antigas da cidade.

Aos pés do Monte Palatino foram construídos o Fórum Romano de um lado e do outro, o Circo Massimo. Ele tem 40 metros de altura, e uma das teorias a respeito de seu nome afirma que ele vem da palavra latina para “palácio”.

A origem da Civilização Romana foi no Monte Palatino: os historiadores e arqueólogos descobriram resquícios da presença de pessoas morando lá cerca de mil anos antes da Era Cristã. Provavelmente é por isso que o monte foi envolto em uma lenda especial: a caverna Lupercal, onde Rômulo e Remo foram encontrados por uma loba, supostamente ficaria no Monte Palatino.

Talvez a lenda não seja totalmente uma ficção pois, em 2007, arqueólogos que escavavam as ruínas do palácio de Augusto encontraram uma caverna sob suas ruínas. Embora ela estivesse parcialmente destruída e soterrada, foi possível estimar que tivesse 8m de altura e 7m de comprimento, escondida a 16m dentro da rocha. O local era decorado com conchas e mosaicos de mármore colorido, e por esse motivo acredita-se que os romanos transformaram a caverna em que Rômulo e Remo foram encontrados em um santuário.

Un post condiviso da 🇮🇹 Em Roma 🇮🇹 (@em_roma) in data:

Graças à relevância do Monte Palatino para a história de Roma, ele acabou se tornando um local onde cidadãos importantes construíam sua moradia, tanto no período republicano quanto durante o império. E até hoje é possível ver ruínas dos palácios de Otávio Augusto, Tibério e Domitiano na colina.

A lenda da fundação de Roma não é a única que tem o Monte Palatino como cenário. Os romanos também acreditavam que a mitológica luta entre Hércules e Caco – filho de Vulcano, deus do fogo – teria acontecido no topo do monte.

Foto: Gustavo Fiorentino (Instagram: @gustavofiorentino)

Foto: Gustavo Fiorentino (Instagram: @gustavofiorentino)

Como dissemos, o Monte Palatino é um lugar de belezas naturais. Além de sua própria imponência, ele também conta com os Jardins Farnesianos. Estes jardins são uma construção mais recente, pois somente foram erguidos sobre as ruínas da residência do imperador Tibério em meados do século XVI. Os Jardins Farnesianos são um dos primeiros jardins botânicos da história da Europa.

Para completar, foi criado o Museu Palatino, que coloca em exposição as descobertas realizadas durante escavações no monte. O acervo do museu conta com esculturas, afrescos e mosaicos da Roma Antiga.

Dicas

Como o mesmo ingresso da direito às entradas do Coliseu, Palatino e Fórum Romano, vá direto à bilheteria do Palatino e depois visite o Coliseu sem enfrentar aquela super fila, que independente da temporada, é sempre muito longa!

Confira a minha visita (e comprove o que eu falei quanto à fila!)

Horário de Abertura

Até 15 de fevereiro: 8h30 – 16h30 (última entrada às 16h30)
De 16 de fevereiro a 15 de março: 8h30 – 17h00 (última entrada às 16h00)
De 16 a 28 de março: 8h30 – 17h30 (última entrada às 16h30)
De 29 de março a 31 de agosto: 8h30 – 19h15 (última entrada às 18h15)
De 1 a 30 de setembro: 8h30 – 19h00 (última entrada às 18h00)
De 1 a 24 de outubro: 8h30 – 18h30 (última entrada às 17h30)
Sexta-feira Santa: 8h30 – 14h00
Dia 2 de junho: 13h30 – 19h15
Fechado: 1° de janeiro, 1° de maio e 25 de dezembro

Ingressos

€12,00 (entrada válida por 24 horas para o Coliseu, Palatino e Fórum Romano)
A visita é grátis todo primeiro domingo do mês!

Como chegar?

  • Metrô – linha B: descer em Colosseo
  • Ónibus: números 75, 81, 175, 204 e 673
  • Tram: número 3

Já visitou o Palatino? Ficou alguma dúvida ou tem alguma curiosidade? Deixe seu comentário abaixo!

Lembre-se que nós organizamos transfers do/para o aeroporto, hospedagem e roteiros personalizados! Me escreva em info@emroma.com

 

Ingrid
Ingrid vive na Itália desde 2004 e em Roma desde 2006. O blog nasceu da vontade de compartilhar um pouco do amor pela cidade e a experiência com seus amigos.

Deixe um comentário